Categories
Televisão

Wanderléa e Vanusa são as novas atrações da 3ª temporada do História sexual da MPB

Depois de belos episódios com Wando, Paula Toller, Eduardo Dussek, Ivan Lins, Martinho da Vila, Joyce e As Cantoras do Rádio, apresento nas próximas semanas programas dedicados à Wanderléa e Vanusa, com conteúdo bem diferente do que se costuma ver por aí. No primeiro, as pessoas vão poder conhecer aspectos pouco explorados da carreira da Ternurinha, muito além da jovem guarda, como seus experimentalismos e seus pioneirismos em meio ao desbunde dos anos 70, e no de Vanusa, todo seu vanguardismo na música brasileira, seja como cantora, performer ou autora de grandes canções feministas. O programa História Sexual da MPB vai ao ar todo domingo, às 21h – com reprises quartas, 14h30, quintas, 7h da manhã e sábados, 11h da manhã.

Rodrigo Faour e Wanderléa no programa História Sexual da MPB
Rodrigo Faour e Wanderléa no programa História sexual da MPB
Vanusa e Rodrigo Faour no programa História sexual da MPB
Categories
Shows e eventos

A antológica festa-show de entrega do III Troféu Sexo MPB, pela primeira vez em São Paulo, arrebata a platéia do Tom Jazz

Rodrigo Faour, entre Maria Alcina e Gaby Amarantos
Rodrigo Faour, entre Maria Alcina e a diva do tecnobrega paraense, GabyAmarantos

Foi um tour de force, mas deu tudo certo na III Festa-show de entrega do Troféu Sexo MPB em São Paulo, no charmoso Tom Jazz! Graças à ajuda de uma excelente equipe de 20 pessoas com comovente dedicação integral ao projeto, consegui realizar mais um grande sonho da minha vida – o de reunir num mesmo palco talentosos artistas de várias tendências e gerações da MPB, trocando ideias e influências, interagindo de maneira que nem eu poderia imaginar. Ao final o público parecia hipnotizado por ver tanta qualidade e ecletismo numa mesma noite.

ENCONTRO HISTÓRICO - Rodrigo Faour entrega o Troféu Sexo MPB aos veteranos por seus 60 anos de carreira - Cauby Peixoto, Inezita Barroso e Angela Maria. Os três começaram a gravar em 1951.

O slogan deste ano, “Por uma MPB com mais tesão”, não poderia ser mais apropriado. Foi uma noite memorável com a presença dos jovens (o rapper Flávio Renegado, a musa do tencobrega paraense Gaby Amarantos, o sambista pop Paulo Padilha e a roqueira Marília Bessy), tarimbados artistas que esbanjam teatralidade como Maria AlcinaEdy StarVanusa e Tetê Espíndola, a bossa sexy de Claudette Soares e os super veteranos – todos completando 60 anos de carreira em gravações neste ano de 2011, Angela Maria,Cauby Peixoto e Inezita Barroso.

Claudette Soares canta com o jovem sambista pop Paulo Padilha a bossa "Meu esquema", sucesso do Mundo Livre S.A.

Quero destacar a presença luxuosa dos músicos (Gustavo Souza, na bateria, Ricardo Prado, nos teclados, Marcelo Monteiro, no sax, André Bedurê, no baixo, liderados pelo guitarrista e diretor musical Rovilson Pascoal), a participação do DJ Plínio Ferreira, a cenografia e concepção visual de David Schumaker, a iluminação de Silviane Ticher, o som de Zé Luís, a gravação do áudio de Gabriel Spazziani e a turma de seis câmeras e dois assistentes dirigidos por Rodolfo Gomes. A festa foi gravada para sair em DVD. A do ano passado está a venda com o título de “Sexo MPB – o show”, pela EMI Music.

Maria Alcina presta tributo à Virgínia Lane e dança com Faour: "Empurra a carrocinha que a pipoca tá quentinha"

Eis a relação dos premiados e suas categorias:

Cauby Peixoto – Hors concours

Angela Maria – Diva atemporal

Inezita Barroso – Veterana sapeca

Vanusa – Diva loura bombshell reincidente

Tetê Espíndola – Passarinho sexy na garganta

Gaby Amarantos – Leoa sexy

Flávio Renegado – Black is beautiful

Marília Bessy – Revelação sexy

Paulo Padilha – Samba sexy

Maria Alcina – Tropicalista abusada

Edy Star – Divo múltiplo

Claudette Soares – Bossa sexy

Vanusa canta "Era um garoto que como eu..." na Festa do III Troféu Sexo MPB
Marília Bessy e Flávio Renegado: "Hora de união"
Angela Maria e Tetê Espíndola: um dos encontros inéditos da noite
Maria Alcina e Edy Star homenageiam Assis Valente

 

Vejam a relação completa das fotos (clicadas por Jardiel Carvalho) desta noite no link abaixo:

Algumas matérias de imprensa
“Inezita suave na nave”, de Pedro Alexandre Sanches
“Muito prazer, eu sou a MPB”, de Branca Nunes (Veja On Line)
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/muito-prazer-eu-sou-a-mpb
Coluna de Monica Bergamo, Folha de S. Paulo, dia 1/12/2011
Nota na coluna de Ancelmo Góis, jornal O Globo, 18/11/2011
Nota na coluna Gente Boa, de Joaquim Ferreira dos Santos, Jornal O Globo, 25/11/2011
Nota na coluna Sonar, Jornal O Globo, 29/11/2011
Categories
Rádio

Festa antológica de entrega do I Trofeu Sexo MPB

Perla, Rodrigo Faour e Vanusa
Perla, Rodrigo Faour e Vanusa: encontro delicioso
Lana Bittencourt, Ademilde Fonseca e Rodrigo Faour
Ademilde Fonseca exibe o Troféu Sexo MPB, com Lana Bittencourt e Faour
Rodrigo Faour premia Toni Garrido
Faour premia Toni Garrido
Faour entre Lidoka, Leiloca, Dhu e Sandra Pêra: as desbundadas Frenéticas
Faour no meio das desbundadas Frenéticas: Lidoka, Leiloca, Dhu e Sandra Pêra

Na última quarta-feira, dia 10 de junho, reuni no Centro Cultural Carioca alguns dos melhores artistas da música brasileira (vide fotos de Cristina Lacerda). Foi, sem dúvida, a noite mais emocionante da minha vida. Comemorando 1 ano do meu programa SEXO MPB na MPB FM,  inventei um talk-show com direito a canjas de intérprtes de vários estilos e gerações, e para coroar ainda mais a noite, tirei da cartola o “Troféu Sexo MPB” que concedi “a todos os que contribuíram para a MPB ficar mais sexy e quente”. Em verdade, foi uma boa desculpa para se ouvir artistas de verdade, gente que canta ou compõe com emoção verdadeira – quebrando barreiras etárias e do que seria supostamente brega ou chique. Hoje em dia há poucos eventos desta natureza, cada tribo fica na sua toca e eu acho isso muito limitador. Por isso, me encheu de felicidade trazer ao palco as veteranas Ademilde Fonseca (88 anos) e Lana Bittencourt (77), num mesmo evento onde todos puderam conferir novos talentos da maior qualidade, como a cantora baiana Márcia Castro que se apresentou com o multi-instrumentista Donatinho, além da cantriz Gottsha, do vozeirão do carioca Márcio Gomes e do balanço do pernambucano André Rio (do famoso bloco Galo da Madrugada). Além disso, recebi as eternas divas exuberantes Perla (paraguaia, há 39 anos no Brasil) e Vanusa, as classudas Fátima Guedes e Marina Lima, os irreverentes Eduardo Dussek e Fausto Fawcett, o grande astro da sensualidade negra Toni Garrido, além de quatro deliciosas Frenéticas originais (Lidoka, Leiloca, Dhu Moraes e Sandra Pêra) e o ícone-mor da sensualidade na música brasileira: Ney Matogrosso.  Haja coração, né gente?

Confira as divertidas categorias do Troféu Sexo MPB: 

  • Ademilde Fonseca – categoria: “Veterana sapeca – Rainha Sexy do Choro”
  • Lana Bittencourt – categoria: “Super Diva passional”
  • Fátima Guedes – categoria: “Mulher Muito intensa”
  • Marina Lima – categoria: “Musa sexy atemporal”
  • Eduardo Dussek – categoria: “Índio louro com pinta de negão”
  • Fausto Fawcett – categoria: “Muso das louras
  • Toni Garrido – categoria – “Negão – homem-fetiche da MPB”
  • Vanusa – categoria: “Diva Loura Sperstar”
  • André Rio – categoria: “Como era grande o Galo da Madrugada”
  • Frenéticas – categoria: “Divas Abusadas do Desbunde”
  • Perla – categoria: “Diva Latina Bombshell”
  • Ney Matogrosso – categoria: “Hors concours” (“Muso dos musos”)

André Rio, Fátima Guedes, Ney Matogrosso e Rodrigo Faour
André Rio, Fátima Guedes, Ney Matogrosso e Rodrigo Faour na Festa de 1 ano do Sexo MPB
Rodrigo Faour entrevista Marina Lima
Rodrigo Faour entrevista Marina Lima
Ney Matogrosso canta com Marina Lima
Ney Matogrosso canta com Marina Lima
Faour entre parte do elenco da Festa de 1 ano do Programa Sexo MPB
Faour entre parte do elenco da Festa de 1 ano do Programa Sexo MPB
Matéria de Leonardo Lichote - Jornal O Globo - 12/06/2009
Matéria de Leonardo Lichote - Jornal O Globo - 12/06/2009
Coluna de Anna Ramalho - Jornal do Brasil - 12/06/2009
Coluna de Anna Ramalho - Jornal do Brasil - 12/06/2009

Veja todas as fotos da festa aqui.

Veja também a matéria de Christina Fuscaldo. Não concordo que tenha sido uma noite com tantas “bobagens”, como ela diz no título, mas é uma matéria simpática, que explica por alto o que rolou na noite.  Ah! E a primeira grande emoção da noite foi Lana Bittencourt cantando “Sangrando”. Que fique aqui registrado!

Houve também cobertura do site O Fuxico.

Categories
Coletâneas

Vanusa – Série "Maxximum"

Vanusa – Série “Maxximum” (SonyBMG, 2005)

Nem sempre são dados a Vanusa o valor e o lugar que ela merece na música brasileira. Se o belo timbre e a voz bem colocada já lhe valeriam destaque entre as nossas melhores cantoras, é bom lembrar que ela foi de nossas primeiras compositoras a lutar pelas causas feministas. Intérprete visceral, traça um Belchior ou um Carlos Lyra da mesma forma que uma versão de Paulo Coelho para o hino gay I will survive ou a singeleza da Oração de São Francisco de Assis. Este CD traz vários de seus clássicos e 8 faixas inéditas em CD, inclusive Comunicação, que ela defendeu no V Festival da Música Brasileira da TV Record, de 1969, depois regravada por Elis Regina. Rodrigo Faour

1 Paralelas (Belchior) (1975)
2 Sem maquiagem (Vanusa) (1980)
3 Estado de fotografia (Malim/ Sérgio Sá) (1977)
4 Mudanças (Sérgio Sá/ Vanusa) (1979)
5 Eu sobrevivo (I will survive) (D. Fekaris/ F. Perren/ Versão: Paulo Coelho) (1981)
6 Não chore por mim (Carlos Lyra/ Daltony Nóbrega) (1980) (*)
7 Panos quentes (Kledir Ramil) (1982) (*)
8 À la carte (Daltony Nóbrega/ Alberto Land) (1980) Ed. RCA (*)
9 Mensagem (Cícero Nunes/ Aldo Cabral) (1968)
10 Pra nunca mais chorar (Carlos Imperial/ Eduardo Araújo) (1968)
11 Prova de fogo (Erasmo Carlos) (1967) (*)
12 Sunny (Bobby Hebb) (1969)
13 Comunicação (Hélio Matheus) (1969) (*)
14 Sem mistério (Luiz Wagner) (1972) (*)
15 Sempre na mira (Tunai/ Sérgio Natureza) (1982) (*)
16 Ser mulher (Vanusa/ Anamaria/ Vanucci) (1980) Ed. Jaguaré (*)
17 Oração de São Francisco de Assis (D.P./ Adapt. Vanusa) (1981)

(*) raridades

Pesquisa de repertório: Rodrigo Faour
Coordenação da série: Flávio Pinheiro e Marcus Fabrício

Categories
Reedições

Vanusa (1973) – Série "As Divas"

Vanusa (1973) (Warner Music, 2006)

Surgida em 1967, em plena era da Jovem Guarda, Vanusa se lançou ao sucesso cantando roquinhos e baladas bem ao sabor daquela época. Chegou a participar de um festival da canção com êxito e, em plena fase da liberação comportamental e sexual, se juntou com o cantor Antonio Marcos, sem passar pela porta da igreja, numa época em que isso era um tabu dos maiores, e de quebra, a seu lado, participou de uma montagem nacional do musical Hair. Já estava consagrada quando, em 73, trocou a RCA pela Continental, ainda munida de um repertório mais para o pop que para a MPB tradicional. Sempre muito audaciosa, lutou contra o machismo vigente na produção e conseguiu que aceitassem no disco uma de suas mais bonitas letras (com música de Mário Campanha): Manhãs de setembro, que para a surpresa de todos, mas não dela, foi seu maior sucesso vida afora. Esta música já ensaiava uma virada de mesa feminista que ficaria mais pungente em seus sucessos futuros. Pois a garra, a força e a afinação de Vanusa nesta e nas outras faixas se juntaram aos arranjos de Portinho, Elcio Alvarez, Chiquinho de Moraes e dos novatos Zé Rodrix e Lincoln Olivetti, produzindo um LP marcante em sua carreira que os fãs jamais se esqueceram. Rodrigo Faour

1. Manhãs de setembro
2. Você não morreu
3. O mago de Pornois
4. Quebra-cabeça
5. Neste mesmo lugar
6. What to do
7. Estou fazendo hora
8. Coisas pequenas
9. Quero você
10. Retrato na parede
11. Mercado modelo
12. Entre cinzas

Reedição produzida por Rodrigo Faour
Coordenação de produção da reedição: Adriana Ramos
Gerente de marketing estratégico: Gian Ucello

Opinião da imprensa

O Estado de S. Paulo – Lauro Lisboa Garcia

Revista Quem – Marcus Preto

O Globo – Antonio Carlos Miguel