Categories
Coletâneas Discos

Assis Valente ganha coletânea dupla caprichada em seu centenário

O compositor Assis Valente (1911-1958) teve uma vida trágica, mas perpetuou a alegria em sua obra. Alguns de seus melhores sambas e marchas estão no CD duplo Assis Valente não fez bobagem – 100 anos de alegria (EMI), entre releituras (CD 1) e gravações originais (CD 2).  No primeiro, Novos Baianos, Maria Bethânia, Maria Alcina, Martinho da Vila, Wanderlea, Marília Pêra, Isaurinha Garcia, Aracy de Almeida e outros mestres dão aula de ritmo e irreverência. Destaque para raridades como Um jarro d’água, na voz de Marlene, Recenseamento, na de Ademilde Fonseca e o clássico Boas festas, com Doris Monteiro. Já no segundo, seus intérpretes mais constantes, Carmen Miranda e o Bando da Lua, se alternam com Dircinha Batista, 4 Ases e 1 Coringa, Orlando Silva, Carlos Galhardo e Moreira da Silva, na maioria em registros dos anos 30, auge da carreira do compositor. Vale ainda mencionar a qualidade técnica dessas gravações, apesar de tão antigas, e o fato de a maioria ser inédita no formato digital. O álbum acompanha uma mini-biografia escrita por mim, todas as letras e os anos originais de lançamento. Uma delícia!

Assis valente não fez bobagem - produzido por Rodrigo Faour

Contracapa do CD Assis Valente não fez bobagem, com produção de Rodrigo Faour e design gráfico de Leandro Arraes (L&A Studio)

   Repercussão:

Crítica de Marcus Preto - Folha de S. Paulo - 7.12.11

Crítica de Tárik de Souza – Revista Carta Capital

Crítica de Tárik de Souza - Carta Capital - Dezembro/2011

Matéria da Revista Época – On Line (Danilo Casaletti)

http://revistaepoca.globo.com/cultura/noticia/2011/12/cd-e-programa-de-tv-comemoram-os-100-anos-de-assis-valente.html

 

Matéria do Diário do Grande ABC (Thiago Mariano)

http://www.dgabc.com.br/News/5931140/cronista-eterno.aspx 

 

Site Ziriguidum (Beto Feitosa)

http://www2.uol.com.br/ziriguidum/1112/111202-01.htm

 

Revista Sucesso!

http://www.portalsucesso.com.br/noticias/rica-obra-de-assis-valente-e-resgatada-em-coletanea-dupla

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Categories
Com textos assinados

No Tempo de Noel Rosa (Coletânea)

No Tempo de Noel Rosa (Coletânea, 1971) (Coleção “Essential Classics”) (BMG, 2004)

Pioneiro compositor a imprimir um tom coloquial em nossas letras, genial cronista de costumes e melodista inspirado, Noel Rosa (1910-1937) segue fascinando gerações. Esta coletânea traz o próprio Noel, seu amigo Almirante e suas intérpretes preferidas, Aracy de Almeida e Marília Batista, entoando algumas de suas pérolas – todas gravadas na RCA entre 1931 e 37. Rodrigo Faour

1. Por causa da hora – Noel Rosa
2. Cansei de pedir – Aracy de Almeida
3. Dama do cabaré – Orlando Silva
4. Prato fundo – Almirante
5. Triste cuíca – Aracy de Almeida
6. Maria Fumaça – Almirante
7. Nunca, jamais – Noel Rosa
8. Tarzan, o filho do alfaiate – Almirante
9. O orvalho vem caindo – Almirante
10. O maior castigo que eu te dou – Aracy de Almeida
11. Quem ri melhor – Noel Rosa e Marília Batista
12. Eu sei sofrer – Aracy de Almeida

Reedição produzida por Charles Gavin
Texto de contracapa assinado por Rodrigo Faour

Opinião da imprensa

Folha de S. Paulo – Pedro Alexandre Sanches
O Globo – Coluna Sonar / Antonio Carlos Miguel
Categories
Com textos assinados

Orlando Silva – Sempre Sucesso! (1962)

Orlando Silva – Sempre Sucesso! (1962) (Coleção “Os Originais”) (BMG, 2004)

Nos anos 50 e 60, Orlando Silva (1915-1978) regravou na RCA Victor diversos sucessos de sua frase áurea (1935 a 42), quando era chamado de “O cantor das multidões” por sua imensa popularidade. No LP Sempre Sucesso, registrado originalmente em 1962, não foi diferente. Vários de seus sucessos antigos, como o samba No kilômetro 2 (recriação de sua primeira música gravada na Victor), o fox Última canção e a marcha-rancho Cidade brinquedo foram revisitados pelo cantor com tecnologia superior a dos velhos bolachões de 78 rotações. Mas não é só. Ele alternou essas jóias de seu repertório com novidades que nunca havia gravado até então, como Canção da eterna despedida, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Rodrigo Faour

1. Canção da eterna despedida
2. No kilômetro 2
3. Chorei
4. Palavras
5. Canção do amor que eu lhe dei
6. Cidade brinquedo
7. Terminarei tua canção
8. Eu te perdôo
9. Sorrisos
10. Penso em teus olhos
11. Última canção
12. Para Deus somos iguais

Inclui texto de contracapa assinado por Rodrigo Faour