Categories
Coletâneas

Emílio Santiago – Série "Maxximum"

Emílio Santiago – Série “Maxximum” (SonyBMG, 2005)

Com a voz macia talhada na noite, onde atuou como crooner durante muitos anos, Emílio Santiago começou a gravar em 1973 e aos poucos foi se impondo como uma das principais vozes masculinas da MPB, numa fase em que os cantores não-compositores já eram raros. Neste CD, o temos reverenciando grandes autores da bossa nova, do bolero e também o guerreiro menino Gonzaguinha. De quebra, podemos ouvi-lo em duetos caprichados com Ângela Maria, Fagner e Johnny Alf. Rodrigo Faour

1 – Sangrando (Gonzaguinha) (2001)
2 – Dias de luna (Paulo César Feital/ Cláudio Cartier/ Raul Pappaini) (1996)
3 – Explode coração (Não dá mais pra segurar) (Gonzaguinha) (2001)
4 – E vamos à luta (Gonzaguinha) (2001)
5 – Deixa Dílson e vamos Nelson (Gonzaguinha) (2001)
6 – Canto de Ossanha (Baden Powell/ Vinicius de Moraes) (2000)
7 – Avassaladora (Gonzaguinha) (2001)
8 – Eclipse (Margarita Lecuona) (1996)
9 – Pot-pourri: Vivo sonhando / Triste / Meditação (1988)
10 – Manhã de carnaval (Luiz Bonfá/ Antonio Maria) (2000)
11 – Anos dourados (Tom Jobim/ Chico Buarque) (1996)
12 – Si me enamoro (Sérgio Mienovich) (1996)
13 – Rio (Roberto Menescal/ Ronaldo Bôscoli) (2000)
14 – Garota de Ipanema (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) (2000)
15 – Bateu pra trás (João Donato/ Lysias Ênio) (2000)
DUETOS
16 – Escuta (Ivon Curi) – com Angela Maria (1996)
17 – Noves fora (Fagner/ Belchior) – com Fagner (1998)
18 – Rapaz de bem (Johnny Alf) – com Johnny Alf (1990)

Pesquisa de repertório: Rodrigo Faour
Coordenação da série: Flávio Pinheiro

Categories
Coletâneas

Bossa Nova – Série "Maxximum"

(O melhor da) Bossa Nova – Série “Maxximum” (SonyBMG, 2006)

Muitos tentaram enterrar a bossa nova, mas não conseguiram. Porque enquanto houver bom gosto e sutileza no mundo, ela terá sempre o seu lugar. Que o digam os grandes intérpretes que fazem parte deste CD, que inclui raridades interessantes, como Corcovado (com a grande diva da Era do Rádio, Lana Bittencourt) e gravações que nem sempre figuram em coletâneas do gênero, como Ponteio (Astrud Gilberto), Fim de noite (Elza Soares) e Bananeira (Joyce e João Donato), ale de nomes da nova geração que abraçaram o movimento, como Paula Morelembaum, Celso Fonseca, o grupo Bossacucanova e as duas filhas de Joyce – Ana Martins e Clara Moreno. Rodrigo Faour

1 Bananeira (João Donato/ Gilberto Gil) – Joyce e João Donato (2000)
2 É preciso perdoar (Carlos Coquejo/ Alcivando Luz) – Paula Morelenbaum (2003)
3 A felicidade (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) /
O nosso amor (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) – João Bosco (1988)
4 Águas de março (Tom Jobim) – Stan Getz (1976)
5 O barquinho (Roberto Menescal/ Ronaldo Bôscoli) – Maysa (1961)
6 Fim de noite (Chico Feitosa/ Ronaldo Bôscoli) – Elza Soares (1980)
7 Ponteio (Edu Lobo/ Capinan) – Astrud Gilberto (1971) (*)
8 Insensatez (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) – Emílio Santiago (2000)
9 Corcovado (Tom Jobim) – Lana Bittencourt (1961) (*)
10 Rapaz de bem (Johnny Alf) – Johnny Alf (1961)
11 Por causa de você, menina (Jorge Ben) – Clara Moreno (2003)
12 Samba do avião (Tom Jobim) – Miucha e Tom Jobim (1977)
13 Água de beber (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) – Ana Martins (2003)
14 Garota de Ipanema (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes)/
Rio (Roberto Menescal/ Ronaldo Bôscoli) /
Ela é carioca (Tom Jobim/ Vinicius de Moraes) – Leny Andrade (1988)
15 Coisa mais linda (Carlos Lyra/ Vinicius de Moraes) – Celso Fonseca (2003)
16 A rã (João Donato/ Caetano Veloso) – Bossacucanova (2003)

(*) raridades

Seleção de repertório: Rodrigo Faour e Marcus Fabrício
Coordenação da série: Flávio Pinheiro