Categories
Shows e eventos

Show-tributo a Dolores Duran reúne 20 artistas e vira especial de dois anos no canal “Rodrigo Faour Oficial”, do YouTube

Gravado no dia 17 de julho de 2017, o show “Uma tarde para Dolores Duran e família” reuniu no grande palco do o Imperator, no Méier, Zona Norte carioca, um super elenco de 20 intérpretes e seis músicos convidados. Idealizado, roteirizado e apresentado por mim, este espetáculo foi criado no intuito de angariar fundos para sua filha (adotiva) única, Maria Fernanda. O resultado não poderia ter sido melhor, apresentando tanto as grandes composições imortais de Dolores, quanto números nacionais e estrangeiros de seu repertório de grande cantora da noite que foi, entre 1949 e 59, quando faleceu aos 29 anos.
Uma tarde para Dolores Duran e Família - direção: Rodrigo Faour

Aberto pela grande cantora da noite carioca, a veterana Áurea Martins, o show trouxe ainda cantoras da Era do Rádio (Dóris Monteiro, Lana Bittencourt, Ellen de Lima, Luciene Franco), o rei do sambalanço (João Roberto Kelly), a embaixatriz da bossa nova Leny Andrade (acompanhada do pianista Gilson Peranzzetta), familiares (Denise Duran e Izzy Gordon, respectivamente, irmã e sobrinha de Dolores), artistas da nova geração (Chico Chico, filho de Càssia Eller, Júlio Estrela e Ana Costa), atores-cantores (Gottsha, Cláudio Lins, Soraya Ravenle e as eternas Frenéticas Dhu Moraes e Sandra Pêra), além das presenças especialíssimas de Zezé Motta e Ney Matogrosso. Finalmente houve depoimentos de Eloá Dias (uma das melhores amigas de Dolores) e Maria Fernanda (filha da artista, a quem este show beneficente foi dedicado).

Uma tarde para Dolores Duran e família - direção: Rodrigo Faour
Cláudio Lins, Leny Andrade, Ellen de Lima, Luciene Franco, Ney Matogrosso, Dóris Monteiro, Dhu Moraes (Frenéticas)

Com direção musical e arranjos do tecladista Heberth Souza, e arranjos adicionais do violonista Gabriel Gonzaga, e contou ainda com os músicos Evelyne Garcia (teclados/ acordeon), Rodrigo Serra (bateria),  Tássio Ramos (baixo) e Dudu Oliveira (sax tenor/ flauta), e a participação de Mirabeaux (guitarra).

O show foi registrado em vídeo e exibido na íntegra em 21 partes no canal www.youtube.com/rodrigofaouroficial comemorando os dois anos do programa “MPB com tudo dentro”.

Uma tarde para Dolores Duran - direção: Rodrigo Faour
Ney Matogrosso, Dóris Monteiro, Dhu Moraes (Frenéticas), Zezé Motta, Sandra Pêra (Frenéticas) e Lana Bittencourt
Uma tarde para Dolores Duran - direção: Rodrigo Faour
Izzy Gordon, João Roberto Kelly, Áurea Martins, Ana Costa, Rodrigo Faour (apresentador) e Gottsha
Uma tarde para Dolores Duran e família - direção: Rodrigo Faour
Júlio Estrela, Gilson Peranzzetta (de lado), Cláudio Lins, Leny Andrade, Luciene Franco, Ellen de Lima, Ney Matogrosso, Dóris Monteiro e Dhu Moraes (Frenéticas)

No repertório, clássicos autorais de Dolores Duran, como “A noite do meu bem”, “Castigo”, “Solidão”, “Fim de caso”, “Não me culpe”,  “Leva-me contigo”, parcerias com J. Ribamar (“Pela rua”, “Ternura antiga”, “O que é que eu faço”), outras menos conhecidas, como “Minha toada” (dela com Edson França) e “Ideias erradas” (outra dela com Ribamar), parcerias com Tom Jobim (“Estrada do sol”, “Se é por falta de adeus, “Por causa de você”) e também canções que ela imortalizou como intérprete, como o samba-canção “Manias” (Celso e Flávio Cavalcanti), a toada “Na asa do vento” (João do Vale/ Luiz Vieira), os standards americanos “My funny Valentine” e “Over the rainbow”, a rumba cubana “Ave Maria Lola” e ainda sambalanços do ex-namorado Billy Blanco (“Estatuto de boite” e “A banca do distinto”) e finalmente “Boato”, única que não gravou, pois não teve tempo. É de 1960, um ano após seu falecimento. Porém se viva fosse, certamente gravaria. Foi incluída para homenagear seu autor, João Roberto Kelly, um dos estilizadores do gênero sambalanço, presente no show.

Uma tarde para Dolores Duran e Família - Direção: Rodrigo Faour
Ney Matogrosso, Dóris Monteiro, Ana costa, Luciene Franco, Zezé Motta, Sandra Pêra, Dhu Moraes, Áurea Martins, Gottsha, Mirabeaux (guitarrista), Gilson Peranzzetta, Ellen de Lima, Cláudio Lins, Lana Bittencourt, Leny Andrade, Cláudio Lins e Rodrigo Faour
Uma tarde para Dolores Duran e família - Direção: Rodrigo Faour
Ellen de Lima, Luciene Franco, Zezé Motta, Sandra Pêra, Àurea Martins, Dhu Moraes, Lana Bittencourt, Rodrigo Faour, Gottsha, Dóris Monteiro, Ana Costa e Cláudio Lins
Uma tarde para Dolores Duran e família - direção: Rodrigo Faour
Júlio Estrela, Cláudio Lins, Ana Costa, Áurea Martins, Chico Chico (Chicão) e Soraya Ravenle no camarim do Imperator
Uma tarde para Dolores Duran e família - Direção: Rodrigo Faour
Rodrigo Faour (de azul) com a ex-atriz, manequim e melhor amiga de Dolores, Eloá Dias (de echarpe) com a família de Dolores Duran, incluindo a filha Maria Fernanda (de creme), Denise Duran (irmã) e Izzy Gordon (sobrinha, ao lado de Faour)
Uma tarde para Dolores Duran e família - direção: Rodrigo Faour
Gilson Peranzzetta, João Roberto Kelly, Leny Andrade e Rodrigo Faour

(fotos: Marcelo Castello Branco)

TRAILERS DO SHOW, CUJOS NÚMEROS MUSICAIS NA ÍNTEGRA ESTÃO NO CANAL 

www.youtube.com/rodrigofaouroficial

Uma tarde para Dolores Duran e família – Trailer 1

Uma tarde para Dolores Duran e família – Trailer 2

Uma tarde para Dolores Duran e família – Trailer 3

Uma tarde para Dolores Duran e família – Trailer 4

Categories
Televisão

3ª temporada do História sexual da MPB se encerra neste domingo, dia 4/8, com As Frenéticas

Amigos, o que é bom dura pouco. Foi um prazer ter tantos entrevistados ilustres nesta temporada do meu programa História sexual da MPB, no Canal Brasil. E neste domingo, dia 4/8/2013, às 21h, terei a meu lado Dhu Moraes, Leiloca, Lidoka e Sandra Pêra, quatro das seis integrantes originais do grupo As Frenéticas, que nos anos 70 e início dos 80, fizeram história com suas canções irreverentes e transgressoras. Tudo a ver com o desbunde comportamental daqueles tempos.

Frenéticas Lidoka, Faour, Sandra Pêra e Dhu Moraes
Lidoka, Rodrigo Faour, Sandra Pêra e Dhu Moraes nos bastidores do programa “História sexual da MPB”
Leiloca, Rodrigo Faour e Dhu Moraes (Frenéticas)
Leiloca, Rodrigo Faour e Dhu Moraes: momentos frenéticos

Quero agradecer também o carinho de Leny Andrade, João Bosco e Zezé Motta, meus entrevistados anteriores, que “abrilhantaram” meu programa “História sexual da MPB”.

o pianista João Carlos Coutinho e LENY ANDRADE com Rodrigo Faour
O pianista João Carlos Coutinho, ao fundo, e Leny Andrade, com Rodrigo Faour no programa “História sexual da MPB”
Rodrigo Faour e João Bosco
Rodrigo Faour e João Bosco no Studio RJ, onde gravaram o programa “História Sexual da MPB”
Rodrigo Faour e Zezé Motta no programa História sexual da MPB, Canal Brasil
Rodrigo Faour se divertindo com sua entrevistada, Zezé Motta, em seu programa no Canal Brasil

 

Categories
Shows e eventos

Festa do II Trofeu Sexo MPB reune vários estilos e gerações em noite antológica

Fátima Guedes, Eliana Pittman, Rodrigo Faour, Márcia Castro e Edy Star
Trenzinho com Fátima Guedes, Eliana Pittman, Rodrigo Faour, Márcia Castro e Edy Star
Alcione, Waleska, Ademilde Fonseca e Eliana Pittman
Encontro de divas: Alcione, Waleska, Ademilde Fonseca e Eliana Pittman
Fernanda Abreu canta um medley de Rita Lee na festa de 2 anos do Sexo MPB
Fernanda Abreu, cantando um medley de Rita Lee

Comemorando dois anos do programa Sexo MPB, na MPB FM carioca, o lançamento do CD “Sexo MPB com Rodrigo Faour” (EMI Music) e a reestreia do programa “História sexual da MPB”, no Canal Brasil, a festa na noite de segunda-feira, dia 20 de setembro, no Centro Cultural Carioca, entrou para a história da música brasileira por reunir alguns dos maiores ícones da MPB de vários estilos e gerações. Na ocasião, entreguei o II Trofeu Sexo MPB aos artistas que contribuíram para a MPB ficar mais sexy e quente. Eis os agraciados e suas categorias pela ordem de apresentação:

Ademilde Fonseca – Veterana sexy

Eliana Pittman – Diva exuberante

Waleska – Diva da Fossa sexy

Fátima Guedes – Mulher Muito intensa reincidente

Márcia Castro – Revelação sexy

Alcione – Loba sexy

Lana Bittencourt – Explosão Passional

Márcio Gomes, Alfredo Del-Penho e Pedro Paulo Malta – Revelação sexy

Angela Ro Ro – Vulcão trepidante

Edy Star – Divo desbundado

Fernanda Abreu – Diva pop samba funk

Toni Garrido – Black is beautiful

João Roberto Kelly – Muso do Bole-bole

Manhoso – Rei do Pornô-forró

Frenéticas – Carnaval-Disco girls

Cláudia – Voz de ouro

Perla – Explosão tropical

Toni Garrido na festa de 2 anos do Sexo MPB, de Rodrigo Faour
Toni Garrido cantando "Samurai", de Djavan
Angela Ro Ro e Rodrigo Faour na festa de 2 anos do Sexo MPB
Angela Ro Ro dá um arroxo em Rodrigo Faour
Rodrigo Faour, Perla, Eliana Pittman e Cláudia na festa de 2 anos do Sexo MPB
Rodrigo Faour, Perla, Eliana Pittman e Cláudia
Lana Bittencourt na festa do II Trofeu Sexo MPB, de Rodrigo Faour, em 2010
Lana Bittencourt: explosão passional
As Frenéticas na festa de 2 anos do Sexo MPB
As Frenéticas - Lidoka, Leiloca, Dhu Moraes e Edyr - recebendo o Trofeu Sexo MPB
Márcio Gomes, Pedro Paulo Malta, Rodrigo Faour e Alfredo Del-Penho na festa de 2 anos do Sexo MPB
Márcio Gomes, Pedro Paulo Malta, Rodrigo Faour e Alfredo Del-Penho: confraternização sexy
Edy Star, Fernanda Abreu, Eliana Pittman e João Roberto Kelly na festa de 2 anos do Sexo MPB
Edy Star, Fernanda Abreu, Eliana Pittman e João Roberto Kelly na "Dança do bole-bole"
Rodrigo Faour entrevista o forrozeiro Manhoso na festa de 2 anos do Sexo MPB
Rodrigo Faour entrevista o forrozeiro Manhoso

Veja no link abaixo a galeria de fotos (de Juliana Torres, do Canal Brasil):

http://picasaweb.google.com.br/rodrigofaour/FESTADOIITROFEUSEXOMPBSET2010#

Fotos do ENSAIO da festa no Estúdio Floresta (RJ)

http://picasaweb.google.com.br/rodrigofaour/EnsaioDaFestaDe2AnosDoSexoMPB#

Matéria da coluna Gente Boa, de Joaquim Ferreira dos Santos

Jornal O Globo

Matéria da coluna Gente Boa sobre a festa de 2 anos do Sexo MPB de Rodrigo Faour
Matéria da coluna Gente Boa sobre a festa de 2 anos do Sexo MPB de Rodrigo Faour
Categories
Rádio

Festa antológica de entrega do I Trofeu Sexo MPB

Perla, Rodrigo Faour e Vanusa
Perla, Rodrigo Faour e Vanusa: encontro delicioso
Lana Bittencourt, Ademilde Fonseca e Rodrigo Faour
Ademilde Fonseca exibe o Troféu Sexo MPB, com Lana Bittencourt e Faour
Rodrigo Faour premia Toni Garrido
Faour premia Toni Garrido
Faour entre Lidoka, Leiloca, Dhu e Sandra Pêra: as desbundadas Frenéticas
Faour no meio das desbundadas Frenéticas: Lidoka, Leiloca, Dhu e Sandra Pêra

Na última quarta-feira, dia 10 de junho, reuni no Centro Cultural Carioca alguns dos melhores artistas da música brasileira (vide fotos de Cristina Lacerda). Foi, sem dúvida, a noite mais emocionante da minha vida. Comemorando 1 ano do meu programa SEXO MPB na MPB FM,  inventei um talk-show com direito a canjas de intérprtes de vários estilos e gerações, e para coroar ainda mais a noite, tirei da cartola o “Troféu Sexo MPB” que concedi “a todos os que contribuíram para a MPB ficar mais sexy e quente”. Em verdade, foi uma boa desculpa para se ouvir artistas de verdade, gente que canta ou compõe com emoção verdadeira – quebrando barreiras etárias e do que seria supostamente brega ou chique. Hoje em dia há poucos eventos desta natureza, cada tribo fica na sua toca e eu acho isso muito limitador. Por isso, me encheu de felicidade trazer ao palco as veteranas Ademilde Fonseca (88 anos) e Lana Bittencourt (77), num mesmo evento onde todos puderam conferir novos talentos da maior qualidade, como a cantora baiana Márcia Castro que se apresentou com o multi-instrumentista Donatinho, além da cantriz Gottsha, do vozeirão do carioca Márcio Gomes e do balanço do pernambucano André Rio (do famoso bloco Galo da Madrugada). Além disso, recebi as eternas divas exuberantes Perla (paraguaia, há 39 anos no Brasil) e Vanusa, as classudas Fátima Guedes e Marina Lima, os irreverentes Eduardo Dussek e Fausto Fawcett, o grande astro da sensualidade negra Toni Garrido, além de quatro deliciosas Frenéticas originais (Lidoka, Leiloca, Dhu Moraes e Sandra Pêra) e o ícone-mor da sensualidade na música brasileira: Ney Matogrosso.  Haja coração, né gente?

Confira as divertidas categorias do Troféu Sexo MPB: 

  • Ademilde Fonseca – categoria: “Veterana sapeca – Rainha Sexy do Choro”
  • Lana Bittencourt – categoria: “Super Diva passional”
  • Fátima Guedes – categoria: “Mulher Muito intensa”
  • Marina Lima – categoria: “Musa sexy atemporal”
  • Eduardo Dussek – categoria: “Índio louro com pinta de negão”
  • Fausto Fawcett – categoria: “Muso das louras
  • Toni Garrido – categoria – “Negão – homem-fetiche da MPB”
  • Vanusa – categoria: “Diva Loura Sperstar”
  • André Rio – categoria: “Como era grande o Galo da Madrugada”
  • Frenéticas – categoria: “Divas Abusadas do Desbunde”
  • Perla – categoria: “Diva Latina Bombshell”
  • Ney Matogrosso – categoria: “Hors concours” (“Muso dos musos”)

André Rio, Fátima Guedes, Ney Matogrosso e Rodrigo Faour
André Rio, Fátima Guedes, Ney Matogrosso e Rodrigo Faour na Festa de 1 ano do Sexo MPB
Rodrigo Faour entrevista Marina Lima
Rodrigo Faour entrevista Marina Lima
Ney Matogrosso canta com Marina Lima
Ney Matogrosso canta com Marina Lima
Faour entre parte do elenco da Festa de 1 ano do Programa Sexo MPB
Faour entre parte do elenco da Festa de 1 ano do Programa Sexo MPB
Matéria de Leonardo Lichote - Jornal O Globo - 12/06/2009
Matéria de Leonardo Lichote - Jornal O Globo - 12/06/2009
Coluna de Anna Ramalho - Jornal do Brasil - 12/06/2009
Coluna de Anna Ramalho - Jornal do Brasil - 12/06/2009

Veja todas as fotos da festa aqui.

Veja também a matéria de Christina Fuscaldo. Não concordo que tenha sido uma noite com tantas “bobagens”, como ela diz no título, mas é uma matéria simpática, que explica por alto o que rolou na noite.  Ah! E a primeira grande emoção da noite foi Lana Bittencourt cantando “Sangrando”. Que fique aqui registrado!

Houve também cobertura do site O Fuxico.

Categories
Coletâneas

Gonzaguinha – The Essential

Gonzaguinha – série “The Essential” (EMI Music, 2003)

Ícone da canção de protesto nos anos 70, Gonzaguinha foi de uma geração universitária que fazia política através da música. Com o tempo, descobriu-se também um romântico inato. E a partir do sucesso do bolerão Começaria tudo outra vez, em 1976, passou a se especializar também em canções do gênero. O resultado é um repertório mesclado entre o político, o existencial e o amor levado às últimas conseqüências em suas letras recitativas e de uma franqueza implacável. Nesta coletânea, há 15 de seus grandes sucessos e duas curiosidades: a debochada Marcha do povo doido (com As Frenéticas) e Bom-dia, um samba pós-abertura política (em duo com o sambista Martinho da Vila). Rodrigo Faour

1. Comportamento geral
2. Galope
3. Pois é, Seu Zé
4. Recado
5. Espere por mim, morena
6. Sangrando
7. Ponto de interrogação
8. Não dá mais pra segurar (Explode coração)
9. Eu apenas queria que você soubesse
10. O que é, o que é
11. Caminhos do coração
12. Ser, fazer e acontecer
13. Alô, alô Brasil
14. Feliz
15. Lindo lago do amor
BONUS TRACKS
16. A marcha do povo doido – com As Frenéticas
17. Bom dia – com Martinho da Vila

Seleção de repertório e textos: Rodrigo Faour
Coordenação do projeto: Luiz Garcia e Maurício DiasAssistente: Alexandre Sarthou