Categories
Entrevistas

Faour estreia o programa bilíngue “MPB com Tudo Dentro”, em seu canal do YouTube

Depois de escrever seis livros; de ter seu nome nos textos e fichas-técnicas de mais de 600 CDs, incluindo 18 boxes com obras de mitos da MPB como Elis, Nana Caymmi, Mutantes, Bezerra da Silva e Bethânia; de criar e apresentar programas de rádio e de TV (no Canal Brasil); de dirigir e roteirizar shows, como o recente “Ruído branco”, de Ana Carolina”, “Duas Feras perigosas”, de Sandra Pêra & Dhu Moraes, e “Infernynho”, de Ney Matogrosso e Marília Bessy; e de dar cursos e palestras em todo país, o jornalista, produtor e historiador de música brasileira RODRIGO FAOUR decidiu se reinventar.

A partir do dia 22 de agosto, estreia o MPB COM TUDO DENTRO, um programa semanal na internet, criado e apresentado por ele, no seu próprio canal, youtube.com/rodrigofaouroficial.

“Quis dar uma sacudida na mesmice. Vivemos uma época de muita massificação na música mundial, e na brasileira nem se fala. Quero mostrar o melhor da música criativa dos novos e resgatar o nosso legado deslumbrante do passado, por meio de entrevistas inéditas, pequenas palestras e vídeos raros do meu baú, para que velhos fãs e a nova geração tenham um produto de qualidade de divulgação da nossa música mais criativa. E estou fazendo isso de uma maneira contemporânea, bem direta, explorando as facilidades das novas tecnologias”, diz FAOUR.

Edy Star, Rodrigo Faour e Ney Matogrosso no programa MPB COM TUDO DENTRO
Edy Star, Rodrigo Faour e Ney Matogrosso na estreia do programa MPB COM TUDO DENTRO

O conteúdo e a linguagem

MPB COM TUDO DENTRO irá ao ar toda terça-feira, alternando três tipos de formato: 1) Pequenas aulas sobre movimentos musicais, curiosidades ou resgates da obra de artistas importantes da música brasileira; 2) vídeos de seu baú, de produções que teve a oportunidade de registrar a imagem e que até agora se mantinham inéditas; e, finalmente (e principalmente), 3) entrevistas atuais com ícones da nossa música de várias épocas, incluindo novos talentos que ele aposta.

“Acredito que existe um público na internet disposto a se divertir, mas também a se informar sobre a nossa música criativa e que nem sempre encontra esse conteúdo facilmente”, acredita Faour. “Muita gente jovem que gostaria de conhecer um pouco mais sobre o assunto e é carente de uma fonte confiável ou de uma direção de por onde começar vai encontrar abrigo no meu canal. Fora isso, há também um público mais adulto que chegou à rede e ainda não encontrou um programa musical a seu gosto”.

O programa terá uma linguagem dinâmica, própria de internet, trazida pelo produtor, editor e videomaker RODY MARTINS, famoso por seus divertidos clipes com a Rainha do Bumbum, Gretchen, que a trouxeram de volta ao sucesso nos últimos anos. “É leve sem ser superficial, e vai ter o humor e a dobradinha de música e comportamento que são marcas de toda a minha obra”, entrega o autor de “História sexual da MPB”, um livro que já virou programa de rádio, TV, show, CD, DVD e até um troféu. “A ideia é numa mesma entrevista alternar pautas mais sérias com outras bem divertidas, incluindo testes e brincadeiras com os artistas”, diz.

“Da mesma forma, minhas palestras sobre temas da música brasileira serão bem informais, sempre destacando detalhes pitorescos e de viés comportamental, contextualizando canções, personagens e movimentos musicais com as épocas em que foram produzidos. Isto gera um interesse de quem não conhece o tema, para além da parte musical”, complementa.

Os primeiros programas

A estreia, dia 22, será com uma entrevista reunindo “Os Pioneiros Transgressores” sexuais na música brasileira, EDY STAR & NEY MATOGROSSO, nos bastidores do novo CD de EDY, primeiro artista a se assumir gay no Brasil, produzido por Zeca Baleiro. Na sequência, dia 29, o making of do encontro de EDY com NEY e seu velho amigo e conterrâneo, CAETANO VELOSO, nas gravações de seu disco temporão, já que seu único e cultuado álbum solo até então data de 1974. Além de cantarem juntos, os três falam sobre transgressões no meio musical e sobre o que era a cultura gay no Brasil dos anos 50 e 60, e no Rio de Janeiro “desbundado” dos anos 70.

Edy Star, Rodrigo Faour e Caetano Veloso no programa MPB COM TUDO DENTRO
Edy Star, Rodrigo Faour e Caetano Veloso no segundo episódio do programa MPB COM TUDO DENTRO

Até o fim do ano, FAOUR já tem gravadas entrevistas também com outros artistas que transgrediram nesta mesma linha de gênero, como a veterana MARIA ALCINA, que acaba de lançar “Espírito de tudo”, um álbum só com canções de Caetano Veloso, e nomes da nova geração, como JOHNNY HOOKER e o coletivo NÃO RECOMENDADOS (de CAIO PRADO, DANIEL CHAUDON e DIEGO MORAES). Todos dão canjas em números exclusivos, ao vivo, para o programa. Há ainda o encontro inédito de HOOKER & MARIA ALCINA num “quiz” divertido, baseado nas letras de músicas vingativas de JOHNNY.

Johnny Hooker, Rodrigo Faour e Maria Alcina num dos episódios do MPB COM TUDO DENTRO
Johnny Hooker, Rodrigo Faour e Maria Alcina num dos episódios do MPB COM TUDO DENTRO

A multifacetada ELZA SOARES, a sambista e ativista LECI BRANDÃO, a diva paraguaia PERLA, o veterano AGNALDO RAYOL e o lambadeiro alagoano GIVLY, da BANDA FIGUEROAS também já registraram entrevistas reveladoras para o MPB COM TUDO DENTRO, sendo que este último, de apenas 23 anos, mostra que é um expert em cultura pop brasileira dos anos 60, 70 e 80, mostrando discos de sua coleção de vinil, e respondendo a testes de FAOUR, sobre as divas bregas brasileiras e as Musas Peladas, ou seja, as que posaram nuas, analisando as revistas Playboy e Status da época, e elegendo suas favoritas em três categorias.

Alternadas às entrevistas, haverá pequenas palestras sobre temas da MPB. Curador da caixa de 15 CDs, “JACKSON DO PANDEIRO, o Rei do Ritmo” (Universal Music), ele dedica, por exemplo, um programa inteiro à memória do grande cantor, compositor e pandeirista paraibano, contando fatos pitorescos de sua biografia, intercalados com alguns números musicais. Mais adiante, dedica outro às capas minimalistas e sofisticadas da bossa nova, e diretamente do seu baú, mostra um encontro inédito da Rainha do Choro, ADEMILDE FONSECA com o Rei do Sambalanço, MILTINHO, na festa de lançamento de seu programa de rádio da extinta MPB FM, no Centro Cultural Carioca, em 2008.

Apelo internacional

Outra grande novidade é que todos os vídeos do MPB COM TUDO DENTRO serão legendados em inglês, de modo a atrair também os amantes da música brasileira que vivem no exterior, mas não entendem nossa língua nativa. “Viajei pra Nova York em julho, e entrando em contato com músicos estrangeiros que vivem lá, decidi também investir no formato bilíngue. O tipo de música brasileira criativa que eu gosto e divulgo também tem fãs fora daqui. Por isso quero colaborar para romper essas fronteiras e criar um intercâmbio com gente do mundo todo. Neste momento de crise do mercado para a música brasileira mais diversa e criativa, precisamos unir forças ampliar seu raio de atuação”.

Categories
Coletâneas Discos

Herivelto Martins ganha homenagem em forma de CD duplo em seu centenário

Depois de homenagear com CDs duplos os centenários de Assis Valente e Nelson Cavaquinho no ano passado, agora é a vez de Herivelto Martins, compositor excepcional que ajudou a fixar o sucesso do samba-canção no Brasil dos anos 40 e 50, além de belos sambas carnavalescos e uma série inspirada de tangos.

Herivelto Martins 100 anos – Faça de conta que o tempo passou (EMI Music) traz alguns de seus intérpretes originais mais marcantes como Dalva de Oliveira, Francisco Alves, Nelson Gonçalves, Linda Batista, Angela Maria, Aracy de Almeida, Miltinho, Silvio Caldas, 4 Ases e 1 Coringa, Trio Irakitan, Isaurinha Garcia, Roberto Silva, Os Cinco Crioulos, Trio de Ouro (do qual Herivelto fez parte como cantor) e outros mais contemporâneos, como Alcione, Maria Bethânia, Nara Leão, Elza Soares, Waleska além do jovem Márcio Gomes. Um deleite para os ouvidos.

Capa do CD HERIVELTO 100 ANOS - Faça de conta que o tempo passou, produzido por Rodrigo Faour

HERIVELTO 100 ANOS - Faça de conta que o tempo passou (produzido por Rodrigo Faour)

 

Categories
Coletâneas Discos

Assis Valente ganha coletânea dupla caprichada em seu centenário

O compositor Assis Valente (1911-1958) teve uma vida trágica, mas perpetuou a alegria em sua obra. Alguns de seus melhores sambas e marchas estão no CD duplo Assis Valente não fez bobagem – 100 anos de alegria (EMI), entre releituras (CD 1) e gravações originais (CD 2).  No primeiro, Novos Baianos, Maria Bethânia, Maria Alcina, Martinho da Vila, Wanderlea, Marília Pêra, Isaurinha Garcia, Aracy de Almeida e outros mestres dão aula de ritmo e irreverência. Destaque para raridades como Um jarro d’água, na voz de Marlene, Recenseamento, na de Ademilde Fonseca e o clássico Boas festas, com Doris Monteiro. Já no segundo, seus intérpretes mais constantes, Carmen Miranda e o Bando da Lua, se alternam com Dircinha Batista, 4 Ases e 1 Coringa, Orlando Silva, Carlos Galhardo e Moreira da Silva, na maioria em registros dos anos 30, auge da carreira do compositor. Vale ainda mencionar a qualidade técnica dessas gravações, apesar de tão antigas, e o fato de a maioria ser inédita no formato digital. O álbum acompanha uma mini-biografia escrita por mim, todas as letras e os anos originais de lançamento. Uma delícia!

Assis valente não fez bobagem - produzido por Rodrigo Faour

Contracapa do CD Assis Valente não fez bobagem, com produção de Rodrigo Faour e design gráfico de Leandro Arraes (L&A Studio)

   Repercussão:

Crítica de Marcus Preto - Folha de S. Paulo - 7.12.11

Crítica de Tárik de Souza – Revista Carta Capital

Crítica de Tárik de Souza - Carta Capital - Dezembro/2011

Matéria da Revista Época – On Line (Danilo Casaletti)

http://revistaepoca.globo.com/cultura/noticia/2011/12/cd-e-programa-de-tv-comemoram-os-100-anos-de-assis-valente.html

 

Matéria do Diário do Grande ABC (Thiago Mariano)

http://www.dgabc.com.br/News/5931140/cronista-eterno.aspx 

 

Site Ziriguidum (Beto Feitosa)

http://www2.uol.com.br/ziriguidum/1112/111202-01.htm

 

Revista Sucesso!

http://www.portalsucesso.com.br/noticias/rica-obra-de-assis-valente-e-resgatada-em-coletanea-dupla

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Categories
Coletâneas

O CD comemorativo dos 50 anos de carreira de Elza Soares ganha destaque na Revista Bravo

Lançado em dezembro, O CD duplo Elza Soares “Deixa a nega gingar” (EMI Music) acaba de ganhar uma crítica bacana na edição de fevereiro da Revista Bravo, escrita por José Flávio Júnior.

Crítica do CD Elza Soares "Deixa a nega Gingar" - Revista Bravo - Fev 2011

Categories
Coletâneas

Nelson Cavaquinho ganha coletânea de gravações consagradas e esquecidas em homenagem a seu centenário

Analisando o acervo da EMI Music, me dei conta que algumas das gravações mais interessantes da obra do Nelson Cavaquinho foram realizadas na Odeon. E também que havia um monte de sambas raros do emérito mangueirense que quase ninguém conhece. Baseado nisso, criei o CD duplo “Nelson Cavaquinho 100 anos – Degraus da vida”, que acaba de chegar às lojas. Aí ainda consegui licenciar algumas de outras gravadoras e o resultado ficou do jeito que eu queria. Espero que gostem.

Nelson Cavaquinho 100 anos - Degraus da vida (EMI Music) Produzido por Rodrigo Faour

NELSON CAVAQUINHO 100 ANOS – DEGRAUS DA VIDA (EMI Music, 2011)

 

CD 1 – Sambas consagrados

Sucessos imortais do compositor

 

1. Folhas secas (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Beth Carvalho – do CD “Nome Sagrado – Beth Carvalho interpreta Nelson Cavaquinho”, Jam Music (2001)

2. Minha festa (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Clara Nunes – do LP “Clara Nunes” Odeon (1973)

3. A flor e o espinho (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito/ Alcides Caminha) – do LP “Elizeth sobe o morro” Copacabana (1965) 

4. Notícia (Nelson Cavaquinho/ Alcides Caminha/ Nourival Bahia) – Roberto Silva – do LP “Descendo o morro nº4” Copacabana (1961) 

5. Sempre Mangueira (Nelson Cavaquinho/ Geraldo Queiroz) – Clara Nunes – do LP “Clara Clarice Clara” Odeon (1972) 

6. Pranto de poeta (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Elza Soares – do LP “Elza Soares” Odeon (1973)

7. O meu pecado (Nelson Cavaquinho/ Zé Keti) – Elizeth Cardoso – do LP Elizeth Cardoso “400 anos de samba” Copacabana (1965)

8. Juízo final (Nelson Cavaquinho/ Élcio Soares) – Clara Nunes – do LP “Claridade” Odeon (1975)

9. Degraus da vida (Nelson Cavaquinho/ César Brasil/ Antônio Braga) – Roberto Silva – do LP “Descendo o morro nº4” Copacabana (1961)

10. Vou partir (Nelson Cavaquinho/ Jair Costa) – Elizeth Cardoso – do LP “Elizete sobe o morro” Copacabana (1965)

11. Palhaço (Nelson Cavaquinho/ Osvaldo Martins/ Washington Fernandes) – Dalva de Oliveira – do 78 rpm Odeon 13.134-a (1951)

12. Duas horas da manhã (Nelson Cavaquinho/ Ari Monteiro) – Paulinho da Viola – do LP “A dança da solidão” Odeon (1972)

13. Luz negra (Nelson Cavaquinho/ Amâncio Cardoso) – Elizeth Cardoso e Nelson Cavaquinho – do LP “Elizete sobe o morro” Copacabana (1965).

14. Quando eu me chamar saudade (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Nora Ney – do LP “Tire o seu sorriso do caminho” Som Livre (1972)

 

CD 2 – Sambas guardados

Composições raras ou menos conhecidas

1. Tenha paciência (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Clara Nunes – do LP “Canto das 3 raças” Odeon (1976)

2. Quero alegria (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Emílio Santiago – do LP “Emílio Santiago” CID (1975)

3. Deus não me esqueceu (Nelson Cavaquinho/ Armando Bispo/ Ananias Silva) – Germano Batista – do LP “Um sambista 100%” Copacabana (1969)

4. Meu caminho (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Beth Carvalho – do LP “De pé no chão” RCA Victor (1978)

5. Caridade (Nelson Cavaquinho/ Ermínio do Vale) – Black-Out – do 78 rpm Black-out Copacabana 5.319 (1954) ou LP 10’ Black-out – Copacabana CLP 3065 (1956)

6. É só vergonha (Nelson Cavaquinho/ Erminio Vale) – Gilberto Alves – do 78 rpm Gilberto Alves Copacabana 5.304-a (1954)

7. Se me der adeus (Nelson Cavaquinho/ Amado Régis) – Jorge Veiga – do Compacto Simples Copacabana 0827 (1969)

8. Não precisa me humilhar (Nelson Cavaquinho/ Amado Régis) – Germano Batista – do LP “Um sambista 100%” Copacabana (1969)

9. Cigarro (Nelson Cavaquinho/ José Batista) – Risadinha – do 78 rpm Risadinha Odeon 13.419-a (1953) 

10. A vida (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Carlos Galhardo – do LP “Parabéns a mim por ter você” Odeon (1978)

11. Mesa farta (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Márcia – do LP “Ronda” Odeon (1977)

12. Se você me ouvisse (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Beth Carvalho – do LP “Nos botequins da vida” RCA Victor (1977) 

13. Sinal de paz (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) – Jurema – do LP Jurema “Sinal de paz” EMI-Odeon 062 421203 (1980) 

14. Depois da vida (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito/ Paulo Gesta)– Paulinho da Viola – do LP “Paulinho da Viola” Odeon (1971)

 A seguir, a belíssima matéria de Leonardo Lichote no jornal O Globo sobe o CD “Nelson Cavaquinho 100 anos – Degraus da vida“, publicada sexta-feira, dia 25/2/2011: