Categories
Com textos assinados Discos Reedições

Faour produz as caixas com os primeiros álbuns de Baby do Brasil e das Frenéticas para a Warner Music

Os primeiros cinco CDs de Baby do Brasil, gravados entre 1978 e 1982, e os quatro álbuns da formação original do sexteto As Frenéticas, registrados entre 1977-1980, finalmente chegam remasterizados ao mercado, com as artes originais, textos contextualizando os lançamentos e diversas faixas bônus. As caixas “Baby Consuelo do Brasil” e “As Frenéticas – 40 anos de Dancin’days” são lançadas agora pela Warner Music.

Caixa "Baby Consuelo do Brasil", produzida por Rodrigo Faour para a Warner Music

A caixa de Baby do Brasil tem ainda como bônus canções para especiais infantis (“Emília, a Boneca gente” e “A espingarda de rolha”), uma faixa de compacto que nunca havia saído em CD, “Juntos de novo” e uma canção de sucesso do festival MPB 80, “O mal é o que sai da boca do homem”, ao lado de Pepeu Gomes. O box acompanha ainda um encarte com um texto biográfico e depoimentos que a cantora deu à imprensa à época de cada lançamento.

Caixa "As Frenéticas - 40 Anos de Dancin'Days" (Produzida por Rodrigo Faour para a Warner Music)

No caso das Frenéticas, o box apresenta 17 bônus tracks, incluindo participações em discos de Gonzaguinha (“A marcha do povo doido”), Belchior (“Corpos terrestres”) e Erasmo Carlos (“Se você pensa”), canções para os especiais infantis da “Arca de Noé” (“Aula de piano”, “O pintinho”), um projeto de frevo da CBS, “Asas da América” (“Bye, bye, my baby”) e as três que gravaram quando se reuniram novamente em 1992 por ocasião da novela “Perigosas peruas” (a faixa de abertura do folhetim homônimo, “Oh, boy” e “Lefudezvous”, além de quatro divertidas mensagens para as rádios que gravaram em compacto.

Finalmente, há três faixas nunca lançadas, a canção de duplo sentido “Açúcar candy” (Sueli Costa/ Tite de Lemos), lançada por Ney Matogrosso em seu primeiro LP; e versões em espanhol de “Perigosa” e “Dancin’days” feitas para o mercado argentino. Há ainda uma inédita em CD, a faixa “Tutti-Frutti”, último grande sucesso do sexteto, onde dividem as vozes com Miguel Bosé, ator/cantor espanhol, à época um ídolo teen.

Quero agradecer à Elaine Medeiros da Warner Music pela parceria neste projeto.

Categories
Coletâneas

Dr. Sabe-Tudo

Dr. Sabe-tudo – Vários intérpretes (Som Livre, 2008)

Coletânea de canções infantis, escritas dos anos 70 aos dias de hoje.

1. Superfantástico – Turma do Balão Mágico e Djavan
2. Loadeando – Marcelo D2 e Stephan
3. Dr. Sabe-tudo – Rubinho Jacobina
4. Oito anos – Paula Toller
5. O carimbador maluco – Raul Seixas
6. Tatibitati – Rita Lee
7. Holywood – Los Hermanos
8. Lindo balão azul – Moraes Moreira, Baby Consuelo, Ricardo Graça Mello, Bebel Gilbeto e Aretha
9. Piruetas – Xuxa e Renato Aragão
10. Xixi nas estrelas – Guilherme Arantes
11. Bicicleta – Marcos Valle
12. Pique-esconde na Internet – Pedro Miranda e Lucinha Lins
13. Sou uma criança, não entendo nada – Oswaldo Montenegro
14. A casa – Capital Inicial
15. Coisa de família – Companhia Itinerante

Idealização do projeto e seleção de repertório: Rodrigo Faour e Marcelo Toller
Coordenação: Marcelo Toller

Categories
Com textos assinados

As Eternas Cantoras do Rádio

As Eternas Cantoras do Rádio – Ademilde Fonseca, Carmélia Alves, Ellen de Lima e Violeta Cavalcante (Leblon Records, 1998)

Terceiro CD do grupo de veteranas As Eternas Cantoras do Rádio, que neste disco mudou um pouco a formação. No lugar de Nora Ney, Rosita Gonzales e Zezé Gonzaga, entrou a “Rainha do Choro” Ademilde Fonseca, que juntou-se à “Rainha do Baião” Carmélia Alves, à romântica Ellen de Lima e à sambista Violeta Cavalcante. Um CD bem produzido, com direito à participação de Gilberto Gil, Ney Matogrosso, Leila Pinheiro e Baby do Brasil. Rodrigo Faour

Inclui texto biográfico no encarte de Rodrigo Faour

1. Exaltação à Bahia – Violeta Cavalcante
2. Choro chorão – Ademilde Fonseca e Baby do Brasil
3. Bésame – Ellen de Lima
4. Menino de Braçanã – Carmélia Alves e Ney Matogrosso
5. Fita meus olhos – Violeta Cavalcante e Leila Pinheiro
6. Estrela – Ellen de Lima e Gilberto Gil
7. Feliz – Ellen de Lima
8. Pedacinhos do céu – Ademilde Fonseca
9. Súplica cearense – Carmélia Alves
10. Tristeza, pé no chão – Violeta Cavalcante
11. Feira de Mangaio – Carmélia Alves
12. Estão voltando as flores – Ademilde, Carmélia, Ellen e Violeta

Categories
Coletâneas

Baby Consuelo – Série "Warner 25 Anos"

Baby Conseulo – Série “Warner 25 Anos” (Warner Music, 2001)

Coletânea enfocando a melhor fase da carreira de Baby Consuelo, hoje Baby do Brasil, entre 1978 e 1982, na qual realizava uma perfeita interseção de ritmos brasileiros com o pop/rock, sem descaracterizá-los, com destaque para Menino do Rio, Todo dia era dia de índio, a recriação dos choros Brasileirinho, O que vier eu traço e Apanhei-te cavaquinho – esta última, com direito a canja da Rainha do Choro, Ademilde Fonseca. Rodrigo Faour

Inclui texto biográfico no encarte

1. Menino do Rio (Caetano Veloso) (1979)
2. Todo dia era dia de índio (Jorge Ben) (1981)
3. O que vier eu traço (Alvaiade/ Zé Maria) (1978)
4. Eu e a brisa (Johnny Alf) (ao vivo) (1980)
5. Um arco-íris na tarde (João Donato/ Baby Consuelo) (1981)
6. Cósmica (Baby Consuelo) (1982)
7. Telúrica (Baby Consuelo/ Jorginho Gomes) (1981)
8. O fole roncou (Luiz Gonzaga/ Nelson Valença) (1978)
9. Apanhei-te cavaquinho (Ernesto Nazaré/ Ubaldo) – com Ademilde Fonseca (1979)
10. Assanhado (Jacob do Bandolim/ Baby Consuelo) (1979)
11. Ele mexe comigo (Pepeu Gomes/ Galvão/ Baby Consuelo) (1978)
12. É amor (Is this love) (Bob Marley/ versão: Baby Consuelo) (1979)
13. Aquarela do Brasil (Ary Barroso) (1978)
14. Brasileirinho (ao vivo) (Waldir Azevedo) (1980)

Seleção de repertório: Rodrigo Faour e Carlos Sion

Categories
Coletâneas

Pepeu Gomes & Baby Consuelo – Série "Maxximum"

Pepeu Gomes & Baby Consuelo – Série “Maxximum” (SonyBMG, 2005)

Egressos do revolucionário grupo Novos Baianos, Baby Consuelo e Pepeu Gomes formaram o casal 20 da MPB na primeira metade dos anos 80, auge de suas carreiras, quando obtiveram sucesso misturando a nossa música de raiz com o pop/rock do momento. Causaram muita polêmica naqueles tempos. Ele ao gravar Masculino e feminino, ela ao divulgar suas experiências místicas ou mesmo juntos, por ostentarem uma imagem extravagante, com cabelos coloridos, a ponto de serem Barrados na Disneylândia por estarem chamando mais a atenção do público que os brinquedos do parque. Neste CD, sucessos e raridades, como a versão remix do rock Ela é demais, de Pepeu. Rodrigo Faour

1. Ela é demais (Pepeu Gomes/ Baby Consuelo) (1985) Pepeu Gomes
2. Sem pecado e sem juízo (Baby Consuelo/ Pepeu Gomes) (1985) Baby Consuelo
3. Masculino e feminino (Pepeu Gomes/ Baby Consuelo/ Didi Gomes) (1983) Pepeu Gomes
4. Eu e a lua (Baby Consuelo) (1984) Baby Consuelo
5. Rock’n’gol (Baby Consuelo/ Pepeu Gomes) (1983) Pepeu Gomes
6. Barrados na Disneylândia (Baby Consuelo/ Pepeu Gomes/ Riroca Cidade Gomes) (1984) Baby Consuelo
7. Deusa do amor (Baby Consuelo/ Pepeu Gomes) (1983) Pepeu Gomes
8. Sabor a mim (Sabor a mí) (Álvaro Carrillo/ Baby Consuelo) (1985) Baby Consuelo
9. Mil e uma noites de amor (Pepeu Gomes/ Baby Consuelo-Fausto Nilo) (1985) Pepeu Gomes
10.Força do olhar (Baby Consuelo/ Pepeu Gomes) (1984) Baby Consuelo
11. Rock in Rio (Pepeu Gomes/ Paulo Cesarin) (1985) Pepeu Gomes
12. Que delícia (Baby Consuelo/ Pepeu Gomes) (1985) Baby Consuelo
13. Araruama (Baby Consuelo-Pepeu Gomes-Charles Negrita) (1985) Baby Consuelo
14. Brasileirinho (instrumental) (Waldir Azevedo) (1983) Pepeu Gomes
RARIDADES E ENCONTROS
15. Delicado (Waldir Azevedo-Ari Vieira) (1985) Baby Consuelo & Ademilde Fonseca
16. Farol da Barra (Galvão/ Caetano Veloso) (1978) Baby Consuelo & Novos Baianos
17. Ela é demais (REMIX) (Pepeu Gomes/ Baby Consuelo) (1985) Pepeu Gomes

Pesquisa de repertório: Rodrigo Faour
Coordenação da série: Flávio Pinheiro e Marcus Fabrício