Categories
Coletâneas

O pornô-forró de Clemilda

O pornô-forró de Clemilda (Warner Music, 2008)

Os ritmos nordestinos sempre tiveram uma boa dose de malícia e duplo sentido, desde os tempos do chamego de Luiz Gonzaga nos anos 40, passando pelos xotes de João do Vale gravados por Marinês entre o final dos anos 50 e início dos 60 do tipo Peba na pimenta. Quem levou este bastão à frente foi a forrozeira alagoana Clemilda. Mas não foi de uma hora para outra. Se desde a sua estréia, em 1965, ao lado de Gerson Filho até o início dos anos 80, ela gravava quase sempre inofensivos baiões e seus derivativos, a partir de 1985 a coisa mudou. Foi neste ano, com o sucesso de Prenda o Tadeu estourado no país inteiro que ela passou a investir com mais afinco no filão dos hilariantes e cada vez mais picantes porno-forrós. Nada menos que 14 destes estão compilados nesse divertidíssimo CD, com gravações originais de 1985 a 91. Rodrigo Faour

1. Forró cheiroso (Miraldo Aragão/Clemilda) (1987)
2. Recado pra Zetinha (Miraldo Aragão/Clemilda) (1987)
3. Coitadinha da Tonheta (Durval Vieira/Clemilda) (1990)
4. Com “menas” gente (Durval Vieira/Clemilda) (1992)
5. Cabeludo Zé Mané (Durval Vieira) (1987)
6. Prenda o Tadeu (Antônio Sima/Clemilda) (1985)
7. Fome medonha (Durval Vieira/Clemilda) (1991)
8. Bilhete para comadre Dinha (Miraldo Aragão/Clemilda) (1987)
9. O computador (Jorge Geo/Antonio 2000) (1990)
10. Como você cresceu (Durval Vieira/Clemilda) (1987)
11. A Cantiga da doida (Karlos Honório) (Miraldo Aragão/Clemilda) (1987)
12. Em “tenção” de você (Durval Vieira/Clemilda) (1991)
13. Isca de anzol (A minhoca do Severino) (João Caetano/Clemilda) (1986)
14. O pau de sebo escorregador (Antonio Sima/Belinha) (1987)

Conceito, seleção de repertório e textos: Rodrigo Faour
Mkt Estratégico: Adriana Ramos e Gian Ucello


Categories
Coletâneas

As mais divertidas do Dicró

As mais divertidas do Dicró (Warner Music, 2008)

Carlos Roberto de Oliveira, o Dicró, foi nascido e criado na Baixada Fluminense (RJ) e desde cedo começou a se embrenhar pelo mundo do samba, tendo pertencido à ala de compositores de escolas como Beija-Flor e Grande Rio. Desde sua estréia num LP coletivo, em 1976, se fez notar pela irreverência, defendendo sambas humorísticos de duplo sentido, reforçados por seu jeito malandro de interpretar. Assim como os colegas Bezerra e Moreira da Silva, ele também passou a encarnar perfeitamente o espírito do homem carioca das camadas bem populares, que se vira para sobreviver fazendo bicos, adora praia, futebol e mulher bonita, e não perde tempo se tiver que gozar com a cara de quem cruzar com ele pela frente. Neste CD, compilamos suas gravações originais mais divertidas, registradas entre 1977 e 86, na extinta Continental. Bom riso! Rodrigo Faour

1. Dá bom dia (Dicró/ Edson Show/ Bebeto de São João) (1980)
2. Praia de Ramos (Afrânio Melo/ Oswaldo Melo / Ivany Miranda) (1980)
3. O sogro (Dicró/ Pongá) (1986)
4. Barra pesada (Melô da Baixada) (Dicró/ José Paulo) (1978)
5. Chatuba (Dicró/ Elias do Parque) (1979)
6. Topless (Dicró/ Ismael Camilo/ Leônidas Paulo) (1980)
7. Cadê a mulher desse lugar (Dico da Mangueira/ Silva Filho) (1978)
8. Botei minha nega no seguro (Dicró/ G. Martins) (1978)
9. Funeral do Ricardão (Crioulo Doido/ Aril) (1984)
10. O barrigudo (Dicró/ Elias do Parque) (1978)
11. Olha a rima (Dicró/ Dias) (1979)
12. O gênio (Dicró/ Jota Ramos) (1984)
13. Minha tia (Luiz Carlos do Pandeiro/ Tatão) (1986)
14. Sonho de besta (Dicró) (1978)

Conceito, seleção de repertório e textos: Rodrigo Faour
Mkt Estratégico: Adriana Ramos e Gian Ucello

Categories
Coletâneas

Dançando em Duplo Sentido

Dançando em Duplo Sentido – Vários intérpretes (Warner Music, 2008)

Desde o século XVIII até hoje, a MPB sempre foi pródiga em músicas de duplo sentido nos mais variados ritmos alegres de nosso cancioneiro. Este CD pesca fonogramas dos anos 70 aos 90, indo do brega cômico de Alypio Martins, ao forró dos ícones do duplo sentido Genival Lacerda, Manhoso, João Gonçalves e Clemilda. Há ainda intérpretes inusitadamente divertidos, como o saudoso sambista e humorista Mussum, a atriz/modelo/jurada-do-Chacrinha Elke Maravilha e o grupo-de-um-hit-só Vestidos de Espaço, com a pop/trash Pipi popô. Entre as faixas mais curiosas deste CD vale destacar o encontro de Genival Lacerda com o comediante Rony Rios, que durante anos viveu a personagem da Velha Surda em humorísticos como A Praça é Nossa, no xote A Vovó Bizantina gosta de roda. Hilariante. Rodrigo Faour

.

1. Gozar a vida (Alypio Martins/ Gisele) – Alypio Martins, 1984
2. Que vontade de comer goiaba (José Ramos) – Elke Maravilha, 1983
3. O peru (João Caetano/ Janjão) – Manhoso, 1989
4. Florisbela procura um sócio (Luiz Bouquinha/ Genival Lacerda) – Genival Lacerda, 1991
5. Oh! Darcy (Alípio Martins / Jesus Couto) – Alypio Martins, 1989
6. Vou de golzinho (Nicéas Drumont/ Graça Góis) – Genival Lacerda, 1990
7. Because Forever (João Nogueira/ Mussum) – Mussum, 1986
8. Seu Tuzinho (Durval Vieira) – Clemilda, 1991
9. Homem durão (Zezum/ Graça Góis) – Genival Lacerda, 1992
10. Ele furou minhas botas (Durval Vieira/ Clemilda) – Clemilda, 1990
11. Use álcool (Oscar Barbosa/ Glorinha) – João Gonçalves, 1986
12. A vovó Bizantina gosta de roda (Zezum/ Graça Góis) – Genival Lacerda e Rony Rios (a “Velha Surda”), 1991
13. Tira a calcinha (Alípio Martins) – Alypio Martins, 1986
14. Pipi Popô (Branco Mello/ Paulo Miklos/ Marcelo Fromer/ Arnaldo Antunes) – Vestidos de Espaço, 1988

Conceito, seleção de repertório e textos: Rodrigo Faour
Mkt Estratégico: Adriana Ramos e Gian Ucello
Warner Music – 2007

.

Opinião da imprensa

O Globo – Coluna “Gente boa” – Joaquim Ferreira dos Santos

Categories
Coletâneas

Miltinho, Samba e Balanço

Miltinho, samba e balanço – Edição comemorativa: 80 anos do rei do ritmo (EMI Music, 2008)

Referência para bambas do porte de Martinho da Vila e Zeca Pagodinho, o cantor e pandeirista Miltinho teve uma carreira coroada de êxitos desde os anos 40. Integrante de grupos vocais importantes e crooner da requintada noite de Copacabana nos anos dourados, ele colecionou sucessos solo, com sua voz nasalada e um repertório que incluía os mais variados estilos de samba. Este CD duplo é uma homenagem aos seus 80 anos, com o melhor de sua fase Odeon (1966-1976). Serve também para mostrar às novas gerações por que ele tornou-se um referencial em ritmo e divisão vocal na música brasileira. Rodrigo Faour
.
CD 1
1 – Samba no Leblon (Luiz Reis) (1971)
2 – Helena, Helena (Antonio Almeida/ Secundino) (1968)
3 – Samba maroto (Luiz Reis) (1966)
4 – Descansa (Jota Junior) (1966)
5 – Alô, alô (André Filho) /
Pelo telefone (Donga/ Mauro de Almeida) – com Elza Soares (1968)
6 – Lampião vadio (Luiz Reis/ Luiz Antônio) (1967)
7 – O lindo de você (Carlito/ J. Santos) (1967)
8 – Quero-te assim (Tito Madi) (1971)
9 – Nossos momentos (Luiz Reis/ Haroldo Barbosa) /
Tudo é magnífico (Luiz Reis/ Haroldo Barbosa) (1969)
10 – Moeda quebrada (Luiz Reis/ Haroldo Barbosa) /
Leilão (Luiz Reis/ Haroldo Barbosa) (1969)
11 – Mas que doidice (Antonio Carlos/ Jocafi)/
Até eu (Baden Powell/ Paulo César Pinheiro) – com Doris Monteiro (1972)
12 – Samba da rosa (Jorge Costa/ Celso Martins) (1968)
13 – Voltei (Oswaldo Nunes) (1968)
14 – Louca (Gracia/ Wilson Medeiros) (1974)

CD 2
1 – Made in Mangueira (João Roberto Kelly) (1976)
2 – Telefone no morro (João Roberto Kelly) (1967)
3 – Na base do pingüim (Britinho/ Fernando César)
Velho gagá (Fernando César) (1969)
4 – Recordar (é viver) (Aldacir Louro/ Aloysio Marins/ Adolfo José Macedo) /
Gilda (Erasmo Silva/ Mário Lago) /
Tome continha de você (Dolores Duran/ Edson Borges) – com Doris Monteiro (1971)
5 – Izaura (Herivelto Martins/ Roberto Roberti) (1968)
6 – Garota ZN (Osmar Navarro/ Umberto Silva) (1966)
7 – Cem vezes (Lúcio Alves) (1973)
8 – Anamaria (Evaldo Gouveia/ Jair Amorim) /
Garota moderna (Evaldo Gouveia/ Jair Amorim) (1969)
9 – Você já foi à Bahia? (Dorival Caymmi) /
Vestido de bolero (Dorival Caymmi) – com Elza Soares (1968)
10 – Amuleto (Herivelto Martins/ Klecius Caldas) (1966)
11 – Amor de brincadeira (Belizário/ Di Ferraz) (1976)
12 – Gamação por Mercedes (Julinho de Castro) (1971)
13 – Botões de laranjeira (Pedro Caetano) (1968)
14 – Laranja madura (Ataulfo Alves) (1967)

.
Idealização do projeto, seleção de repertório e textos: Rodrigo Faour
Coordenação geral: Luiz Garcia e Andréa Novaes
Opinião da imprensa

O Globo – João Pimentel

O Globo – Antonio Carlos Miguel

Outras matérias sobre este CD:

Miltinho celebra 80 anos de uma vida cheia de suingue. – O Estado de S. Paulo – São Paulo /SP – 1/2/2008 – Pág. D3
Miltinho de volta com o bom humor de sempre. – A Tarde – Salvador /BA – 26/1/2008 – Pág. 01
Música – Coletâneas de Miltinho chegam às lojas em fevereiro. – A Gazeta – Vitória /ES – 29/1/2008 – Pág. 01
Miltinho, 80 anos de uma vida cheia de samba e suingue. – O Tempo – Belo Horizonte /MG – 1/2/2008 – Pág. C2
Miltinho volta em CD duplo. – Folha de S. Paulo – São Paulo /SP – 18/3/2008 – Pág. E3
´´Samba e Balanço“ – Miltinho. – Agora – São Paulo /SP – 25/3/2008 – Pág. C-3
Miltinho celebra os 80. – Diário de S.Paulo – São Paulo /SP – 25/3/2008 – Pág. D11
Miltinho também chega afinado e faceiro aos 80. – Hoje em Dia – Belo Horizonte /MG – 19/3/2008 – Pág. 05
O dono do ritmo. – Folha de Londrina – Londrina /PR – 25/3/2008 – Pág. 06
Miltinho volta à ativa com disco duplo. – A Crítica – Manaus /AM – 19/3/2008 – Pág. BV-4